ProAnálise

ProAnálise

O projeto permite filtrar os dados do Procon sobre as reclamações a partir de duas categorias: o setor de atuação da empresa e a unidade federativa que originou a reclamação.

APP

APP

  • Tecnologias
  • Autores
  • Github

Autores:

Contextualização

O ProAnálise é um aplicativo web desenvolvido em PHP e HTML5 elaborado para participar do 1º Concurso de Aplicativos para Dados Abertos, evento realizado em novembro de 2012 pelo escritório do W3C no Brasil em parceria com o Ministério da Justiça, para disseminar a cultura de dados abertos entre os cidadãos e o próprio governo.

O concurso teve como base de dados escolhida o Cadastro Nacional de Reclamações Fundamentadas (Procons), para que desenvolvedores pudessem criar aplicativos que facilitassem a compreensão no cenário brasileiro das empresas reclamadas nos 26 Procons estaduais e 232 Procons municipais onde esse órgão está presente. O resultado foram vários aplicativos e visualizações que auxiliam os cidadãos em seu processo de compra a partir do histórico de comprometimento das empresas com os seus consumidores.

Diante de 32 equipes inscritas no concurso, o ProAnálise conquistou a 3ª colocação. Em primeiro lugar ficou o aplicativo Reputação S/A, em segundo lugar ficaram os projetos Reclamações Br e Reclamações Procon. Em 4º lugar o Proconfie, com menção honrosa.

Desenvolvido por Jessé Filho, Glória de Fátima, Alberto Tavares e Jonatas de Lira Rocha, o ProAnálise, que utiliza a tecnologia MySQL de bancos de dados, permite filtrar os dados do Procon sobre as reclamações a partir de duas categorias: o setor de atuação da empresa e a unidade federativa que originou a reclamação.

Com uma interface intuitiva, a equipe acertou ao segmentar as informações por setor de atuação. Assim, é possível visualizar de forma rápida quais são as empresas do mesmo ramo que mais recebem reclamações e quais são aquelas que menos ouvem os seus consumidores. Também foi interessante a segmentação por região, com um simples clique é possível filtrar por unidade federativa as principais informações das empresas reclamadas.

Desafios Envolvidos

Para Jessé Ferreira, a experiência de participar do concurso foi bastante importante, pois deu a oportunidade de aplicar os conhecimentos sobre dados abertos adquiridos em aulas do curso de Sistemas de Informação na Universidade Federal de Pernambuco.

O programador relata que os resultados o surpreenderam: “Classificar os dados por setor e poder visualizar como as empresas tratam seus consumidores foi bem legal. E ao mesmo tempo foi triste, pois confirmamos por meio do aplicativo Web que as empresas que atuam no cenário econômico brasileiro estão apenas preocupadas com os lucros. Um bom serviço de qualidade é, por muitas vezes, deixado de lado.”

Jessé Ferreira explica que o maior desafio enfrentado pela equipe foi encontrar um banco de dados que pudesse transformar planilhas .csv em dados estruturados para que a aplicação tivesse o melhor desempenho. Outra dificuldade foi encontrar uma interface que resultasse em fácil entendimento para os usuários. “De nada adianta ter alcançado bons resultados com os dados se não conseguirmos transmitir essa informação ao público”.

O desenvolvedor aponta ainda a má prática adotada pelo governo de converter os dados pré-existentes nas suas bases de dados internas para o formato CSV no momento da sua publicação, sendo que o ideal seria exportar a base de dados em seu formato original, melhor estruturada. Apesar dessa dificuldade, entretanto, o desenvolvedor realça a importância de se ter acesso a dados abertos disponibilizados em formato legível por máquina. “Qualquer tipo de informação é bem vinda, pois assim deixamos de partir de uma situação imaginária ou de uma percepção unilateral que nós criamos ao olhar os dados. Trabalhar em cima de dados bem documentados é bem mais simples, pois podemos entender o sujeito original e a origem dos dados.”

Quando questionado sobre outras informações possíveis de se extrair dessa base de dados o desenvolvedor conclui que há inúmeras possibilidades ainda de manuseio desses dados. “Por exemplo, poderíamos identificar o perfil do consumidor que reage mais rapidamente ao realizar uma reclamação e isolá-lo socialmente para analisar coisas como nível escolar e estrutura familiar; o limite dessa aplicação é diretamente proporcional a nossa criatividade e a sorte de encontrar bons dados”.

Linguagens e tecnologias utilizadas

Para o layout das páginas web foi utilizado o HTML5 em conjunto com folhas de estilo CSS e interatividade provida por JavaScript. No lado do servidor, foi utilizada a linguagem PHP e a tecnologia de banco de dados MySQL.

Share:

Veja também